Este site usa cookies para melhorar a navegação. Ao navegar no website concorda com o seu uso. Para saber mais, leia a nossa Política de Cookies.

Correio da Manhã    por    C-Studio

Partilhe nas Redes Sociais

Como começar a reciclar vidro sem enganos
Notícias

Como começar a reciclar vidro sem enganos

Sabia que o vidro pode ser reciclado infinitamente? Ao colocá-lo no ecoponto verde, está a garantir o reaproveitamento total mas, um simples copo pode complicar tudo. Conheça o ciclo das embalagens de vidro e saiba como reciclá-las corretamente!

As embalagens de vidro fazem parte do nosso dia a dia. São práticas, versáteis e têm a enorme vantagem de serem recicláveis. As garrafas de vinho, os frascos de mel e os boiões de iogurte são infinitamente recicláveis e podem ser utilizados vezes sem conta sem perderem as características físicas e químicas. Isto é, podem ser reciclados num ciclo infinito, sem que se perca a qualidade do vidro. Reciclar tem uma mão de vantagens associadas. Colocar as embalagens de vidro no ecoponto verde não só diminui o volume de lixo que é enviado para os aterros como reduz as emissões de dióxido de carbono e de dióxido de enxofre. 

Sempre que reciclamos uma embalagem de vidro, também reduzimos o consumo de energia uma vez que economizamos energia suficiente para manter acesa uma lâmpada de 100W ligada durante quatro horas. Em números, sempre que produzimos uma tonelada de garrafas com vidro reciclado, estamos a poupar a extração de 1,2 toneladas de matérias-primas virgens. Para o fabrico de vidro é necessário extrair areia das margens dos rios. Com a reciclagem, essa extração deixa de existir, o que contribui para uma maior preservação dos recursos naturais. São estes fatores que tornam a reciclagem deste material tão importante.

Está nas suas mãos pôr as embalagens de vidro no ecoponto verde para este ciclo funcionar. Se for dono de um restaurante ou de um bar, imagina o impacto que a reciclagem que faz tem para o ambiente? E mesmo em casa, aqueles frascos que estão guardados à espera de “um dia darem jeito” podem ser depositados no ecoponto para que possam já ter uma nova vida. Hoje é um frasco de doce, amanhã pode ser uma garrafa de vinho e, no próximo ano, uma garrafa de champanhe. Por isso, é importante não juntar este material aos resíduos comuns para que ganhem sempre uma nova vida.

O que deve pôr no verde

Objetos de vidro como garrafas, frascos e boiões devem ser colocados no ecoponto verde para que a reciclagem ajude a prolongar o tempo de vida do material. Mas atenção: nem tudo o que é vidro vai para o vidrão. No ecoponto verde, deposite apenas as embalagens de vidro como garrafas de bebidas, garrafas de azeite, boiões de conservas, frascos de doces e frascos de cosmética. E nem precisa de as lavar. Deve apenas esvaziá-las o mais possível e, se ficarem resíduos como gordura, não há problema. Só tem de as colocar no ecoponto de recolha seletiva e deixar que a indústria transformadora faça o resto. 

O frasco de vidro do perfume, por exemplo, também pode ser reciclado. Então, e o pulverizador que está agarrado ao frasco? Não se preocupe, coloque a tampa no frasco vazio e leve-o para a reciclagem. O mesmo se aplica ao vidro dos frascos de creme que podem igualmente ter uma nova vida. Caso tenha um desodorizante de vidro com uma tampa de plástico, junte tudo e coloque no verde. Se o frasco for de vidro e tiver uma bola roll on, tem sempre um lugar reservado neste ecoponto. Mas se a embalagem for em spray e de plástico, deve colocar a tampa e deixá-la no ecoponto amarelo.

No caso dos frascos de vernizes, descarte só o máximo de produto possível antes de colocar no verde. O verniz pode ir com o pincel? Sim, mesmo que a tampa do frasco seja de plástico. Para que não se perca no processo de reciclagem, deve ir juntamente com o frasco do verniz para o ecoponto verde. Pela dimensão pequena, se a tampa for separada (mesmo que no contentor do seu material), pode perder-se no circuito. O mesmo se aplica às caricas e aos rótulos das garrafas, por exemplo, que não devem ser separados. Se seguirem acoplados à garrafa são recuperados no processo. Nas etapas de tratamento do vidro é possível isolar as tampas, rótulos e caricas em grande parte dos casos, conseguindo dar-lhes um destino de reciclagem. 

O que não deve colocar no verde

Já sabemos que no vidro só pertencem as embalagens, mas há quem ainda ponha loiça, lâmpadas e vidraças no verde. Estas são apenas algumas das situações com que as estações de triagem de resíduos se deparam. Um simples copo podem complicar tudo e prejudicar o processo de reciclagem. Devido à percentagem de materiais diferentes usados na composição, não fundem à mesma temperatura que as embalagens de vidro e, se forem colocados no ecoponto, podem inviabilizar o lote de vidro reciclado porque dão origem a objetos de vidro com defeito.

Se um espelho se partir em casa, se o pírex dos assados rachar ou se a lâmpada da sala fundir, nenhum destes resíduos devem ser colocados no ecoponto verde. De fora ficam ainda pratos, cerâmica e vidros de janelas porque não são vidros de embalagem e têm temperaturas de fusão diferentes. Já resíduos como ampolas e frascos de medicamentos devem ser entregues em unidades de recolha como farmácias e as lâmpadas em centros de recolha de resíduos de equipamentos elétricos e eletrónicos.

De frascos de doce a garrafas de vinho

Agora que já sabe quais as embalagens que pode colocar no ecoponto verde, lembre-se de que a garrafa de vinho do almoço e o frasco de compota do lanche já podem ter tido outras vidas. Ao reciclar o vidro está a dar origem a novos produtos úteis no seu quotidiano. Mas o que acontece a uma garrafa depois de colocada no vidrão? Qual é o percurso que faz até voltar novamente às nossas mãos? Depois de depositar o vidro no ecoponto, este é levado para os centros de triagem e passa por uma fase de limpeza. Segue-se a retirada de impurezas como metais, pedras, plásticos ou vidros indesejáveis. 

Depois, o material é triturado e transformado em pedaços de vidro homogéneos. A partir daí dá-se a fusão, durante a qual os vidros são aquecidos e fundidos a uma temperatura acima dos 1300°. Assim podem ser moldados e utilizados na composição de novas embalagens. O vidro pode passar por este processo infinitas vezes sem perder qualidade e, por isso, toda a ajuda conta neste processo. Faça parte da solução, comece por separar as embalagens por material e, de seguida, deposite as embalagens de vidro no ecoponto verde sem enganos. Se ainda restarem dúvidas na hora de reciclar, consulte o site da Sociedade Ponto Verde.

Miguel Araújo

Miguel Araújo

@miguel_araujo_insta
Saiba Mais

Partilhe nas Redes Sociais